Avaliando corretamente o modelo soviético de socialismo e a prática do socialismo anterior à Reforma

Este artigo foi retirado do livro "Marxismo e as Reformas Econômicas na China", publicado em 2017. Seguiremos publicando os artigos do Profº Zhou Xincheng, como forma de homenageá-lo, por questão de seu falecimento, ocorrido em outubro de 2020. Como já destacamos em publicações anteriores, Zhou Xincheng foi um destacado intelectual marxista chinês, professor da Universidade do Povo e pesquisador das questões do socialismo no Leste Europeu, União Soviética e das reformas econômicas na China.


As reformas não podem ser vistas como uma “dessovietização” ou “desmaoização” - Parte I


Quando debatemos sobre a questão das reformas em nosso país, frequentemente podemos ver dois tipos de opinião: a prática anterior do socialismo foi errada, devemos negá-la, e as reformas em nosso país devem corrigir esses erros. Por exemplo, algumas pessoas dizem que no modelo socialista soviético existiam os “três grandes monopólios”: a posição dirigente ocupada pelo partido comunista é um monopólio do poder por parte do partido, produzindo uma alienação entre as pessoas, o poder político e a economia; a posição dominante ocupada pela propriedade pública dos meios de produção seria um monopólio econômico, que produz uma alienação entre as pessoas, a propriedade e os meios de produção; o caráter orientador do marxismo no âmbito da ideologia seria um monopólio espiritual, produzindo uma alienação entre as pessoas e a cultura.

Esses “três monopólios” acarretaram nas “três alienações”, fazendo com que o modelo soviético caísse em um “erro histórico” e se desviasse do caminho correto do desenvolvimento cultural da humanidade. Algumas pessoas enumeram toda sorte de erros do modelo soviético (alguns deles de fato existiam, outros eram inevitáveis naquelas circunstâncias históricos, porém alguns são completamente inventados), porém, nunca mencionam os diversos sucessos obtidos. Eles chegam a seguinte conclusão: o modelo soviético deve ser negado, e além disso, “quanto mais ele for negado melhor”.

Depois da fundação da República, nós aprendemos com a União Soviética, e reproduzimos uma série de erros, portanto, as reformas em nosso país são uma “dessovietização”. Eles opõem o socialismo com características chinesas ao modelo socialista soviético, considerando que o socialismo com características chineses foi estabelecido sob as bases das completa negação do socialismo soviético.

Algumas pessoas ainda negam completamente a prática do socialismo em nosso país no período anterior ao início da Reforma e Abertura. Por exemplo, anteriormente, uma pessoa que ocupava um cargo dirigente em um departamento de pesquisa da Associação Nacional de Ciências Sociais, abertamente declarou que o socialismo construído por Mao Tsé-tung era o socialismo feudal exposto no “Manifesto Comunista”. Sua marca característica seria a propriedade pública e a economia planificada. A “Grande Revolução Cultural” representou a falência completa desse socialismo no âmbito da política, economia e cultura. As reformas visam expor e criticar esse tipo de erro, abandonar o velho modelo e realizar a “desmaoização”, estabelecendo um “socialismo completamente novo” diferente do modelo anterior. Nós não vamos aqui analisar as falácias e os absurdos de suas opiniões (por exemplo, tomar a propriedade pública e a economia planificada como economia feudal, o que demonstra que ele não possui o básico de entendimento e apenas fala de maneira irresponsável), mas apenas gostaria de apontar: ele opõe o socialismo com características chinesas e a prática do socialismo anterior reforma e abertura, considerando que o socialismo com características chinesas foi estabelecido sob a base da negação completa do modelo socialista anterior as reformas.

A opinião de que as reformas seriam uma “dessovietização" e uma “desmaoização” foi extremamente popular nos círculos acadêmicos em nosso país. À primeira vista ela parece ser correta: tanto o modelo socialista soviético, quanto a prática anterior a reforma e abertura de fato possuíam uma série de problemas, e as reformas em nosso país visam corrigir esses problemas. Porém, as coisas não são tão simples. Essa tese envolve alguns problemas, que incluem: como avaliar o modelo socialista soviético e a prática do socialismo em nosso país anterior a reforma e abertura? Qual a relação entre o socialismo com características chinesas, o modelo socialista soviético e a prática do socialismo antes da Reforma e Abertura? Qual é a essência da “dessovietização" e “desmaoização”?

Antes de respondermos a essas questões, primeiramente citemos um trecho de um discurso do camarada Xi Jinping. Em 5 de janeiro de 2013, em um seminário de estudo e implementação do espírito do 18º Congresso Nacional do Partido Comunista da China, para novos membros e membros alternados do Comitê Central, ele afirmou: “O socialismo com características chinesas é socialismo e não qualquer outro "ismo"; os princípios básicos do socialismo científico não podem ser perdidos, caso contrário, não estamos falando de socialismo.” Ele destacou que o pensamento socialista, desde o seu surgimento, até os dias atuais, possui seis fases:


“O surgimento e desenvolvimento do socialismo utópico; o estabelecimento do sistema teórico do socialismo científico com Marx e Engels; a liderança de Lenin na Revolução de Outubro e o início da construção prática do socialismo; a formação progressiva do modelo soviético; a exploração e a prática do socialismo pelo nosso Partido após a fundação da Nova China; a proposta de nosso Partido em iniciar a política de Reforma e Abertura, começando e desenvolvendo o socialismo com características chinesas”.

Usando este trecho para discutirmos o problema, podemos chegar as seguintes conclusões: 1º) Tanto o modelo soviético de socialismo, como a prática socialista anterior às reformas, ou ainda o socialismo com características chinesas, todos são socialismo e aderem aos princípios básicos do socialismo científico; no que diz respeito a sua natureza básica, o socialismo com características chinesas e o modelo socialista soviético, bem como a prática do socialismo anterior às reformas na China, são iguais, derivam de uma fonte comum.


Neste nível, não pode haver “dessovietização" ou “desmaoização”, porque ao se abandonar os princípios básicos do socialismo científico, não existe socialismo; 2º) Tanto o modelo soviético de socialismo, a prática anterior às reformas do socialismo na China e o socialismo com características chinesas, todos eles são etapas do desenvolvimento histórico do socialismo científico, que combinam diferentes circunstâncias nacionais e as condições concretas daquela época, tomando os princípios básicos do socialismo e colocando-os em prática. Eles mostram suas características na forma concreta de se realizar os princípios básicos do socialismo científico. Embora nos processos de exploração é possível obter experiências exitosas, há também erros, de modo que as experiências e lições de cada etapa, todas elas são experiências valiosas para as gerações posteriores. Nós, em relação a exploração das gerações precedentes, devemos herdar as experiências exitosas, descartar os erros e as coisas que não são apropriadas, e de acordo com a nova situação formularmos novas teorias e medidas. Dar uma resposta precipitada e simplesmente negar a prática precedente do socialismo não é uma atitude marxista séria.

O espírito do discurso do camarada Xi Jinping deve ser o nosso pensamento orientador para debatermos esta questão.

1,749 visualizações0 comentário